Shop More Submit  Join Login
×

:iconcrazyjefffersonian: More from CrazyJefffersonian


More from deviantART



Details

Submitted on
August 17, 2012
Submitted with
Sta.sh Writer
Link
Thumb

Stats

Views
288
Favourites
2 (who?)
Comments
26
×
Silvaze - m still here...



As lágrimas da gata roxa fundiam-se com o sangue derramado no chão. As suas mãos agarravam a pouca vida que restava ao ouriço prateado, entregando-se às profundezas da morte. Porque é que ele se tinha sacrificado? Porquê? Deixar de respirar por uma amiga... para quê? Valia a pena?

- Silver... - sulussou ela. Aquilo não podia estar acontecer... aquilo não era real, pois não?
- Blaze... - sussurrou o ouriço prateado, sentido as forças a esvair do seu corpo. 
- Não faças isto... fica aqui... connosco. Não vás por favor... - suplicava ela, agarrando o corpo do amigo cada vez com mais força. Como se fossem as suas delicadas mãos a única forma de livrar o belo ouriço do terrível destino que iria ter.
- Blaze... e-eu... estarei s-sempre... aqui...- disse ele. Com as forças que lhe restavam, estendeu o seu braço manchado de sangue e colocou a palma da sua mão na bochecha da amiga - E-Estarei semp-pre contigo... eu... eu...

De repente, as forças esvaíram-se completamente do seu corpo. O ouriço prateado deixou cair o seu braço lentamente. As lágrimas da gata roxa começaram a escorrer com mais intensidade pelas suas bochechas abaixo, enquanto sussurrava "Não..." desesperadamente. O ouriço fechou os olhos e deu o seu último suspiro, entregando a sua vida à escuridão para sempre...



*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*~X~*



Blaze caminhava num passo apressado, sentindo as suas botas a enterrarem-se na neve. Apertou bem o casaco e olhou em volta. As luzes Natalícias das ruas e das casas tornavam o ambiente mais alegre e festivo. Mas não para Blaze. A gata roxa suspirou. Dia 25 de Dezembro, dia de Natal, dia de amor, dia de fraternidade, dia de felicidade... dia da morte de Silver. E nesse preciso dia... fazia um ano que ele tinha desaparecido. Para sempre. A gata suspirou de tristeza. Enquanto todos os outros Mobians estavam em festa... ela estava de luto. Sentindo-se completamente sozinha no mundo.
Blaze parou à frente da cancela do cemitério. Uma pequena brisa fresca passou-lhe pela cara. Suspirou. Conseguiu ganhar forças para abrir a cancela e entrar no cemitério. Enquanto caminhava em direção à sepultura do seu amigo, as terríveis imagens da última vez que o tinha visto inundavam a sua mente.


'Playground school bell rings
Again...'


Sangue. Lágrimas. Medo. Desespero. Tristeza. Morte. Era tudo o que ela via naquele momento. As terríveis imagens... que lhe perseguiam... em todo o lado. Blaze abanou a cabeça, tentando afastá-las. Parou de caminhar. Lá no fundo, longe de todas as sepulturas, estava lá a pequena lápide cinzenta de pedra, onde estava escrito "R.I.P Silver the hedgehog". A gata roxa suspirou. Começou a caminhar e voltou a parar à frente da sepultura do seu amigo. A sepultura... do seu amigo. Era... tão estranho...


'Rainclouds come to play,
Again...'


Blaze olhou para o céu. Umas nuvens cinzentas taparam o sol, tornando o ambiente mais melancólico. Suspirou de novo e voltou a olhar para a sepultura. Uma pequena brisa voltou a atravessar a sua cara.

- Hey, Silv - disse ela, tentando sorrir. Ajoelhou-se e pôs no chão a pequena rosa que tinha na mão direita, perto da lápide. - Vim passar o Natal contigo. Pensei que... não te irias sentir tão sozinho com a minha companhia.
Não houve resposta. Blaze ajeitou o cachecol que tinha no pescoço e, enquanto limpava a neve de cima da lápide, clareou a voz.
- Como sabes, eu sempre passei o Natal contigo. E... não queria que este ano fosse diferente.
Engoliu em seco. Ela sabia que estava errada. Tal como o ano anterior, aquele Natal iria ser diferente. Pois ele não estava ali. Ele nunca mais iria voltar. Era estranho e deprimente ao mesmo tempo. Podia ter passado um ano desde que ele tinha desaparecido, mas era como se estivesse vivo para ela, de uma certa maneira. Ela sonhava com ele, todas as noites. Acordava todos os dias de manhã ainda com esperança de o ver. Mas quando a realidade a atingia, era como o seu coração caísse aos seus pés e se partisse em bocados. 

"Será que era assim que o Silver se sentia... quando ele pensou que eu tinha morrido?" ela perguntava em pensamentos. Se calhar, sim. No dia em que Blaze tinha entregado a sua alma ao terrível monstro Iblis Triger, antes de desaparecer, ela viu as lágrimas do amigo a escorrerem incontrolavelmente pela sua face. O tempo podia ter voltado para trás, como se nada tivesse acontecido... mas há momentos e pessoas que nunca se esquecem. Durante dias e dias, ele deve ter pensado nela e ter-se culpado pela sua "morte". Sempre que ela pensava nisso, Blaze sentia uma culpa enorme a encher-lhe a alma. Ela fê-lo sofrer tantas vezes... tanto que até foi ela a causa da sua morte. Se ela apenas pudesse voltar atrás... e ter impedido que ele se tivesse posto no à sua frente... 
Mas isso era impossível.
Ele estava morto. E ela sentia que a culpa... era toda dela por ele não estar a respirar.



'Has no one told you
She´s not breathing?'



- Todos têm imensas saudades tuas - continuou Blaze - especialmente a Amy. Ela gostava imenso de ti... considerava-te praticamente um irmão. Olha, sabes que ela conseguiu conquistar o coração do Sonic? Pois é! Acho que gostarias de os ver juntos. Fazem um casal muito fofo...

Parou de falar de repente. Um pequeno nó apertou-se na sua garganta. E um sentimento de culpa esmagou-lhe o coração de novo. 
Amy sempre mostrou o seu amor por Sonic. E Sonic nunca mostrou muito o seu amor por Amy, mas mostrava-lhe que gostava e que se preocupava com ela. Silver era praticamente a mesma coisa: ele não pedia que Blaze a amasse - aliás, ele não dizia uma palavra em relação a isso. Mas ele precisava da atenção, do carinho e da preocupação dela. Como se fosse uma pequena criança a precisar de amor dos pais. Ele mostrava isso. Muito discretamente, mas mostrava. E Blaze, nunca tinha feito nada. Nem muita atenção lhe dava, apenas lhe chamando "ingénuo" ou "naive". Não que ela não gostasse de Silver. Aliás, ela adorava estar com ele. Mas a sua presença... intimidava-a. A "séria" intimidada com a presença do "naive". Era estranho e irónico ao mesmo tempo. Mas era essa pequena grande contradição que os faziam perfeitos um para o outro. E ela só tinha percebido isso quando ele se tinha ido embora. Era tarde de mais. Se ela pudesse voltar atrás no tempo... ela dar-lhe-ia todo o amor que precisava. Não o iria fazer sofrer. Iria deixá-lo viver feliz. Para sempre. Mas ela não podia. Ele não estava lá. Ele tinha desaparecido. Ele estava morto. Os seus olhos começaram a arder, como se quisesse começar a chorar. Mas ela conteve as lágrimas e suspirou tristemente.

- Desculpa... desculpa ter-te feito sofrer tanto, Silver. Desculpa... - disse ela, com a voz a tremer. Abanou a cabeça e tentou esboçar um sorriso.
- Olha, trouxe o colar que tu me deste no Natal de há dois anos - disse ela, mostrando o colar com os dedos. 
No Natal de há dois anos... foi o último Natal que eles passaram juntos. Silver deu-lhe aquele colar, o seu último presente: um fio com um pendente em forma de coração com uma chama desenhada no meio. "Apenas uma lembrança. Vi-o numa loja e pensei logo em ti. Feliz Natal, B.!" disse ele, dando-lhe o colar alegremente. "Mmh." foi a única coisa que ela respondeu, olhando para o colar. Silver ficou um pouco desiludido com a reação da amiga, mas tentou disfarçar, sorrindo. Mas Blaze viu a pequena desilusão que Silver mostrou na cara. E agora, ela arrependia-se do que tinha feito. Ser fria e solitária era a única maneira de lidar com os seus problemas. E Blaze considerava o Silver como um problema para ela. Sempre que estava com ele, a sua mente bloqueava. Não sabia como reagir com ele, o que fazer. Sentia-se muito nervosa quando estava perto dele e, ao mesmo tempo, uma felicidade imensa. Ela não sabia o que se passava com ela. Então, para não fazer figura de parva, a sua atitude ficava fria. Como se fosse a única maneira de se defender dos seus problemas. Mas ela não conseguia imaginar a dor e sofrimento que causava a quem ela gostava. Ela fez o Silver sofrer com a sua péssima atitude. Mas agora... era tarde de mais para pedir desculpas.

- Eu adoro o colar Silv. A sério que sim... eu uso-o todos os dias, eu gosto imenso dele - disse ela, tristemente - Eu é que fui demasiado estúpida por não o ter dito... no momento certo. Desculpa... - disse ela olhando para baixo com vergonha.
Blaze sabia que ele não estava a ouvir. Ele não estava ali. Mas, oh, o quanto ela desejava que ele estivesse!... Agora que ele tinha desaparecido, é  que ela percebeu a tanta vontade de o ver outra vez. O seu sorriso, os seus longos espinhos prateados a brilhar ao sol, os seus bonitos olhos cor de mel... oh, tantas saudades que ela tinha. Mas ela não podia vê-lo de novo. Enquanto ela tinha uma vida feliz, uma casa acolhedora e amigos que a adoravam, ele estava...

Morto.

E tudo, pensava Blaze, por sua causa. A culpa era toda dela por ele não estar ali, ao seu lado.
- Desculpa, Silver... desculpa... - sussurrava ela. 


'Hello?
I´m your mind, giving you
someone to talk to...
Hello...'


- Blaze... - ela ouviu uma voz dizer. A gata roxa levantou a cabeça e os seus olhos arregalaram.
- Silver?  - perguntou ela, ao ver o ouriço prateado mesmo à sua frente. - Isto... é um sonho? Se for... é o melhor que estou a ter em um ano. Quero... sonhá-lo para sempre...
Silver sorriu e colocou a palma da sua mão na bochecha de Blaze. Aquilo... era real? Ele estaria mesmo ali? Não... não podia ser... era tudo só a sua imaginação. Mas, oh, era tão bom vê-lo ali... de novo. Como se estivesse vivo. Ela tinha tantas saudades... de o ver.  De o sentir. De o cheirar. Ela tinha saudades de tudo o que havia nele.



'If I smile and don´t
Believe...'



Blaze sorriu. Ele estava ali, independentemente se ele fosse a obra da sua imaginação ou não. E era só isso que importava.

- Blaze... tu não tens que me pedir desculpa. Não fizeste nada de errado. - disse Silver. O sorriso da cara da gata roxa desapareceu.
- Fiz sim. Fiz-te sofrer tanto... até inclusive fui a causa... da tua morte... - disse ela, deixando as suas orelhas caírem para baixo de arrependimento.
- Hey, hey... a culpa não foi tua. - respondeu ele, suavemente. Ah, como ela tinha saudades daquela doce voz...


'Soon I know I´ll wake
From this dream'


Mas ela sabia que aquilo não era real. Era só a sua imaginação. Ele estava morto. Morto. E não havia nenhuma maneira de o trazer de volta. Blaze engoliu em seco de novo.
- Foi sim Silver... eu... eu é que devia estar morta e tu é que devias estar vivo. - disse ela, com a voz a tremer.
- O que é que estás aí a dizer? Nenhum de nós tem direito a morrer. Muito menos tu.
- Então porque é que tu... morreste? - perguntou ela, olhando fixamente nos olhos de Silver. Este suspirou.
- Tudo acontece por uma razão, B. 
- Então... qual foi a razão desta vez?!
Silver olhou para ela durante alguns segundos antes de responder.
- Não sei. Talvez... teve mesmo que ser... talvez, não havia mais nenhuma razão para permanecer vivo.



'Don´t try to fix me,
I´m not broken'



Blaze olhou para Silver. Mas o que é que ele estava a dizer? É claro que havia  várias razões para permanecer vivo! Ele fazia-a feliz. Não a fazia sentir tão só. E agora que ele tinha desaparecido de vez... a solidão era cada vez maior. E como não queria preocupar os seus amigos, ela disfarçava, fingindo que estava tudo bem.

- Eu... tenho saudades tuas, Silv - disse ela, num suspiro. O ouriço sorriu e abraçou-a. A gata roxa fechou os olhos e abraçou-o de volta.



'Hello?
I´m the lie
Living for you so you can hide...
Don´t cry...'


Ela sabia que ele não era real. Era tudo fruto da sua imaginação. Mas... aquilo sabia tão, tão bem...

- Porque é que tu te puseste à minha frente naquele dia? Porque é que... deste a tua vida pela minha? - perguntou Blaze.
- Eu quero que tu vivas feliz e em paz, B. Porque eu adoro-te - respondeu Silver, suavemente.
- E achas que valeu a pena?
- Sim. Estás viva e é tudo o que importa.
Blaze largou-o e fitou os seus olhos cor de mel.
- Mas... eu não sou feliz. Sem, ti a minha vida não tem... sentido. - respondeu ela, enquanto umas pequenas lágrimas escorriam involuntariamente pela sua face.
- Hey... não chores - disse o ouriço, sorrindo - Eu estou aqui.

Silver fechou os olhos e aproximou-se de Blaze, fazendo com que os seus lábios se tocassem. A gata roxa colocou a sua mão direita no tufo  de pêlo do peito do ouriço. Ao sentir os frios lábios do ouriço nos seus, fechou os olhos e beijou-o de volta. Aquilo sabia... extremamente bem. Mas lá no fundo, um vazio enchia-lhe o coração. Pois sabia que ele não era real. Ele estava morto. Mas oh, como sabia bem. Talvez saberia assim tão bem beijá-lo... na realidade?
Silver parou e olhou para Blaze, sorrindo. Blaze abriu lentamente os olhos. Ficaram a olhar-se durante alguns momentos. O ouriço prateado acariciou a face da gata roxa com a palma da sua mão. Blaze sorriu-lhe de volta.

- Eu nunca te vou deixar - sussurrou Silver.



'Suddenly I know
I´m not sleeping'



De repente, ele começou a desaparecer. O quê? A desaparecer? Não... ele prometeu que não a ia deixar.

- Não, não Silver. Não vás! Por favor fica aqui comigo! - suplicou Blaze, tentando agarrar a mão do ouriço.
- Eu estarei sempre aqui, Blaze. Mesmo que tu não me consigas ver. Eu estou aqui... eu estou aqui... - disse ele, com a voz a ficar cada vez mais distante. Numa última tentativa de o agarrar, Blaze lançou-se para a frente, com os braços esticados. Mas em vez de apanhar o corpo do ouriço prateado, as suas mãos tocaram na pedra fria da lápide da sua sepultara. A gata roxa ficou a olhar durante uns momentos para a lápide. Um nó apertou-se na garganta. Não conseguiu aguentar mais e deixou cair a cabeça para baixo, deixando as lágrimas pingarem na neve incontrolavelmente.
Ele tinha-se ido embora. De vez. Ela tinha perdido a última oportunidade de lhe dizer o quanto ele significava para ela, das tantas outras que, estupidamente, desperdiçou. Ignorou, até. E agora... era tarde demais.

- Raios! Porque é que isto teve que acontecer, Silver? Porquê?! Raios! - gritou ela, absolutamente para ninguém - Porque é que tiveste que ir embora?! Eu preciso de ti! Eu preciso de ti aqui, vivo! Para te ver, para te sentir, para... para te amar!! 

Silêncio. Ninguém respondeu. As palavras de Blaze ressoaram no vazio. Tudo estava dito. Mas a pessoa que mais precisava de ouvir aquelas palavras... não estava lá. E nunca as iria ouvir.

- Eu amo-te, Silver... mas agora... é tarde de mais... - sussurrou ela, tristemente. Mais uma vez, não houve resposta. A gata roxa suspirou. De repente, sentiu um pequeno floco de neve a cair e a derreter-se rapidamente no seu nariz. Olhou para cima. Estava a começar a nevar. Blaze suspirou e limpou as lágrimas. Tirou o colar que tinha ao pescoço e deu um beijo no pendente em forma de coração. Colocou-o ao lado da rosa e levantou-se.

- Feliz Natal, Silv. Eu amo-te muito.

Blaze sorriu. Afastou-se e caminhou em direção à cancela do cemitério. Nesse momento Silver apareceu de novo, sentado na lápide. Agarrou no colar e beijou o pendente também. Prendeu o fio no seu pescoço e sorriu.

- Feliz Natal, Blaze. Eu também te amo muito...



'Hello I´m still here!
All that´s left of yesterday...'








THE END

Isto é suposto fazer-vos chorar. Mas de certeza que fui uma fail... -.-

Portanto! Inspirei-me na fan fic da :iconkatokat: "A dozen Roses" ([link]). Eu li-a uma vez e chorei. Uns meses depois pensei "Ah, vou ler outra vez e desta vez não vou chorar!". Mas estava errada. E chorei mais uma vez. :XD:
Então decidi tentar fazer uma parecida. Mas em vez de Sonamy, fiz de Silvaze. Mas a minha não deve ser tão epic como a dela. T.T
E também inspirei-me na música "Hello" dos Evanescences - [link]


Portanto... espero que gostem... e que chorem muito. :XD:



English version: [link]



Silver and Blaze - Seeeeegaaaaaaaaaaa! and Sonic team
Lyrics - Evanescence
Fan fic - :iconcrazyjefffersonian:

PS.: No verão e já a pensar no Natal, C.J? :facepalm:

EDIT.: Tinha-me esquecido de parte dos lyrics... ^^; mas agora já os acrescentei.
Add a Comment:
 
:iconsilverpsychic:
SilverPsychic Featured By Owner Sep 11, 2012
ai Cj isto comoveu-me tanto que eu ate chorei :'(
Reply
:iconcrazyjefffersonian:
CrazyJefffersonian Featured By Owner Sep 11, 2012
A sério? :3 Obrigada! :hug:
Reply
:iconsilverpsychic:
SilverPsychic Featured By Owner Sep 11, 2012
ya a sério :squee:
Reply
:iconalternativecandace99:
Não é fail, é muito boa! ;)

O silver vive em ti Blaze!
Reply
:iconcrazyjefffersonian:
CrazyJefffersonian Featured By Owner Aug 17, 2012
Achas? Obrigada! :')

Pois é. ^^
Reply
:iconalternativecandace99:
De nada! Eu só não chorei porque é de mim sabes, eu não costumo chorar nos filmes, topas? XD

Sim eu acho que esta seria a música ideal: [link]
Reply
:iconcrazyjefffersonian:
CrazyJefffersonian Featured By Owner Aug 17, 2012
Ah, não faz mal. ;)
Mas de certeza que com esta fan fic, vais chorar. Eu acabei de a ler pela terceira vez e chorei de novo: [link]
Depois dis-me se choraste ou não.


É ideal mesmo! *canta* Ele vive em tiii, ele vive em miiim, está lá em cimaaa, tu do pode veeer... :sing: :XD:
Reply
:iconalternativecandace99:
Ok, tá, mas como é em inglês vai demorar um tempito para eu entender, mas antes de ler: a "dozen Roses" é de Sonamy né? ;)

*cantando e tendo arrepios espinha acima! xD*
Reply
:iconcrazyjefffersonian:
CrazyJefffersonian Featured By Owner Aug 17, 2012
É Sonamy, é. :meow:


lool XD
Reply
:iconalternativecandace99:
Já a li! ;)
Há que admitir que fiquei com aquela "dor de cabeça" que se tem antes de começarmos a chorar, mas não chorei! =P Estou a falar a sério. Mas realmente é muito tocante consigo ver a tristeza imensa do Sonic! =(
Mas isso tbm depende de mim, aliás, nesta história, nesta parte: "Ser fria e solitária era a única maneira de lidar com os seus problemas." Há que admitir, eu posso identificar-me com isso. Por exemplo, se a minha família morresse toda (o que espero que não venha a acontecer) claro que ficava mais que triste; mas a partir desse momento seria fria e solitária, pois não tinha mais ninguém que se preocupasse comigo! E é por isso que não me quero apaixonar, porque sofresse muito e eu não confio muito nas pessoas, aliás se fossemos a escolher qual destes animais (o cão ou o gato) seria mais parecido comigo no carácter escolheria o gato!
Mas chega de histórias tristes, isso nem vai acontecer né? ;)
Reply
Add a Comment: